Tabuleiro_baleia-jubarte.jpg

Educação Ambiental

A BALEIA-JUBARTE - UMA ESPÉCIE GUARDA-CHUVA

O ciclo de educação ambiental intitulado “As Jubartes e O Ambiente Marinho Capixaba” é realizado pelo projeto Amigos da Jubarte desde o ano de 2017. Promovendo a sensibilização de educadores, alunos do ensino infantil e fundamental, da rede municipal de ensino público e particular da capital e de outros municípios da grande Vitória. 


Com a finalidade de despertar uma consciência crítica sobre as questões ambientais e as potencialidades turísticas relacionadas ao bem natural presente na costa capixaba, o ciclo de educação ambiental envolveu educadores e alunos em atividades lúdicas, oficinas, imersões, atividades práticas, excursões marítimas, intervenções educacionais, eventos de sensibilização e palestras, utilizando a espécie Baleia Jubarte, e seu sítio reprodutivo, como tema “guarda-chuva” para os eixos narrativos utilizados nas atividades de educação propostas pelo ciclo. 


O conteúdo programático especialmente proposto para cada grupo de participantes, conta com o apoio de materiais exclusivos desenvolvidos a partir de experiências da equipe do projeto. Dentre os recursos didáticos fornecidos, destacam-se o “Guia de Orientação e Alerta de cetáceos em Zonas Portuárias”, “Almanaque Ambiental: As Jubarte Capixabas”, o “Relatório Socioambiental Amigos da Jubarte” e vídeos educativos produzidos pela equipe de comunicação do Projeto.

Almanaque-Ambiental-AMIGOS_DA_JUBARTE_20

Baixe o Almanaque Ambiental >>

Guia-de-cetaceos-em-Zonas-Portuarias_Ami

Baixe o Guia de Orientação e Alerta >>

Relatorio-Baleias-Capixabas_Amigos-da-Ju

Baixe o Relatório >>

Blue-Wave.png
Blue-Wave_edited.png
Blue-Wave.png
Blue-Wave_edited.png

Os ciclos de educação ambiental de 2019, proporcionou a cerca de 140 educadores e aos 1850 alunos participantes - dos ensinos infantil e fundamental, além de mais de 1500 pessoas de eventos abertos ao público - informações para sensibilização em torno da importância da fauna marinha presente no Espírito Santo, colaborando para o aumento da percepção regional dos ativos ambientais e impulsionando a apropriação escolar sobre cultura marinha capixaba.